4.7.11

Sobre Arte

Sabendo que a exposição do Tim Burton ia ser no LACMA, resolvi pesquisar o museu pra ver o que mais tinha de legal lá. Descobri que ele é tipo o Louvre de Los Angeles: um museu gigantesco, mas, diferentemente do Louvre, tinha um pouquinho de tudo. Me programei pra passar a tarde toda lá porque, vocês sabem, eu adoro museus e, sobretudo, adoro arte.

Cheguei e me deparei com uma fila imensa, de meia hora, já que, aparentemente, o Tim Burton realmente é um diretor muito popular e todo mundo queria ver a exposição dele. Era 2h30. Me colocaram na exposição Tim Burtoniana das 5h00. Quando você é assim meio indie, como eu, é meio chato descobrir que seu maior ídolo cinematográfico é tão popular. Não que eu já não soubesse disso. Enfim. Eu ainda tinha duas horas e meia pra olhar todo o resto do museu. Peguei o mapa e eis que vejo que o quadro do Magritte, aquele do cachimbo, ficava ali!

Rodei todo o andar da arte moderna, passando por Pollock, Picasso, Man Ray, Mondrian, aqueles quadros horrorosos de quadrados e listras e mais um monte de obras legais e chatas, pais e filhos rindo e apontando pra órgãos sexuais de quadros e nada de Magritte!

Resolvi perguntar pra uma daquelas moças que ajudam pessoas perdidas nos museus: segurei o mapa e mostrei o quadro que eu queria ver (porque eu esqueci o nome do pintor, sempre confundindo-o com o Matisse, que eu odeio; e porque eu não lembrava como dizia cachimbo em inglês). A moça sabia onde ficava e me levou até a única sala que eu não tinha entrado. Ficou me explicando o sentido do quadro, que eu já tinha estudado em umas três matérias diferentes da faculdade, e me contando da exposição dele que o museu teve há uns tempos atrás. E eu só queria que ela me deixasse sozinha pra eu poder tirar minha foto idiota.

Sim, senhoras e senhores: a foto idiota. Eu odeio gente que tira foto com quadro. Colocam no Facebook "Eu e Picasso", porque é o único artista que conhecem. Odeio mais quem tira foto do quadro pra mostrar pros parentes o quadro que viu no museu. Anota o nome. Tem tudo na internet, garanto. Em qualidade bem melhor que seu iphone nessa luz mais ou menos de museu vai conseguir capturar. Acho falta de respeito com a obra. Só pode se for fazer piada com a obra. Ou citação. Ou os dois juntos, assim, bem artístico. Mas, mesmo que for citação ou (principalmente) se for piada, quase sempre continua sendo uma foto idiota.

Mas, sabem, passei uns bons 3 semestres da minha vida estudando esse quadro em especial do Magritte. Eu o acho quase ou mais foda que o próprio Dali e de todos os modernistas ele só perde pro Man Ray (porque o Man Ray fez tudo). E, além disso, eu precisava mostrar pra todos os meus coleguinhas que estudaram o mesmo quadro comigo que eu vi o bendito quadro, ao vivo.

Então eu fiz isso:



A idéia era fazer mais cara de feliz, mas tinha muita gente na sala e eu fiquei com vergonha. Tenho certeza que o pintor aprovaria.


obs.: Sim, leitores! Estou em Los Angeles! Em breve sai um post sobre Hollywood.

3 comentários:

sobrefatalismos disse...

Parabens pela foto tão esperada. To aqui na porra do Brasil, morrendo de inveja da senhora, viu?

Lilly Queers disse...

Debs! eu entendo toda a sua bobeira. a gente é boa de criticar, mas ainda temos coração! hahahaha

é engraçado, porque, nesta foto, enquanto o quadro ficou mais real pra vc, vc ficou menos real pra mim.

ah, a reprodutibilidade técnica!

Gabriela Couth disse...

Quero post sobre o Neil Gaiman!

E gente, foto ridícula, com cara ridícula, na frente de coisas que a nossa mãe diz: "vai lá, fica aí parada" fazem parte. quando não tem mãe e tem obra de arte, fica bem melhor, não?

tá lindo :))
beijos e aproveite a viagem!