29.4.11

Sobre animação

Eu adoro desenhos animados. 2D e stop-motion, de preferência, tendo sido criada assistindo aos filmes da Disney. Aí eu resolvi que queria virar animadora profissionalmente. E aí caiu na minha mão de fazer a abertura para um projeto de conclusão de curso de televisão e eu inventei de animar - no Photoshop, já que tenho um tablet, mas não uma mesa de animação (daquelas de madeira, inclinadas, com lâmpada embaixo, pra poder ver o desenho anterior).

Tendo assistido ao making-of que passava depois do filme no VHS da Branca de Neve e de outros clássicos, eu aprendi que pra fazer um desenho bem legal vc tinha que desenhar o cenário em uma folha, e cada personagem que se mexia em folhas separadas, pra facilitar o trabalho. Lendo livros a respeito, aprendi que se anima cada parte do corpo do personagem de uma vez e que, principalmente, se você não quer ter trabalho, nem comece a animar. Quer dizer, é difícil o suficiente, né?

Mas não, você fez aula de história do cinema I e II, fez de edição, aprendeu tudo sobre movimentos de câmera e enquadramento, tem zilhões de filmes bacanas no repertório e não consegue fazer uma cena com planos parados. Travelling é seu nome do meio. Os personagens precisam dançar ENQUANTO a câmera se aproxima. O olhar do expectador precisa passear pela mesa de buraco.

E sabe a píor parte? A pior parte é que quem escreveu o roteiro foi você mesmo. E enquanto isso, você não consegue fazer uma linha reta com o tablet.

Ainda temos um mês. E 360 quadros pra fazer.

10 comentários:

Kamilla Barcelos disse...

Nossa, eu assisti muito a making-of da Branca de Neve. É incrível o trabalho que eles tiveram. Boa sorte no seu! Vai dar tudo certo!

vendomeutamanho disse...

Queria muito, muito mesmo ter o trabalho que você está tendo e aprender a fazer uma animação, por mais impossível que ela seja. Disney é sinônimo de infância, e Branca de Neve, sinônimo de nostalgia. Boa sorte com os quadros restantes! :c)

sobrefatalismos disse...

Animação nao faz o meu tipo. Mas, boa sorte.

carlos massari disse...

nessas horas que eu fico feliz por praticamente só escrever cenas com câmera estática.

Anna Vitória disse...

posta aqui quando terminar!
eu lembro direitinho do making of da Branca de Neve que passava no final do filme, assisti várias vezes. Não entendia nada, mas achava incrível.

Jana disse...

nunca assisti o making of de branca de neve uahdahduad na verdade, acho que não vejo o filme há mais de dez anos. O.O

adorei a ideiaaaaaaaaa! muito, muito boa! não desista! é maravilhosa! abuse dos layers! e se quiser ir postando o processo, é muito bem-vinda!!!! :)

Gabriela Couth disse...

Deborah!

Acho que meu sonho interno é ser animadora, também. Mas nunca levei isso muito a sério... Nem nunca tentei fazer nada do gênero.

Quero ver como vai ficar!
E acho que você só vai conseguir fazer tentando, errando, e corrigindo.

(E eu não sabia que dava pra animar no photoshop)

Gabriela Couth disse...

Comentários atrasados, porque não consigo ler aqui e não comentar:

- Nunca li post mais verdadeiro sobre futebol. E eu sou desse tipinho que... Odeia futebol. Não torço nem na época da copa. Vejo todo mundo se empolgando, e fico me achando bizarra por não sentir absolutamente nada enquanto vejo isso. Nada. Mas me encanta essa relação de amor sem limites dos fãs... Talvez, quem saiba, seja mais ou menos o que eu sinta por Harry Potter: não importa o que os outros digam, o amor que eu sinto me completa, me preenche de felicidade, e fim.

- Eu sou, definitivamente, uma acumuladora. Eu coleciono TANTA coisa que já fugiu do meu controle, mas herdei do meu pai. Ele coleciona 30x mais coisas que eu. Só pra você ter uma ideia das coleções dele: telefone, isqueiros, óculos, relógicos, miniaturas de gramofone, miniaturas de outros instrumentos, colherzinhas, elefantes, corujas, rádios antigos, binóculos, medalhas, abajur(es?), gatos com o rabo comprido, canecas de chop, copos de chope, e várias outras coisas. Meu irmão diz que se tem um objeto que não tem um irmão, é porque meu pai nunca encontrou nada parecido com ele pra começar outra coleção. E é a mais pura verdade. Mas taí uma coisinha que a gente não coleciona é DVD :P

- Tinha duas casas abandonadas, do estilo Castelinho (estilo arquitetônico de Fortaleza dos anos 40, 50, haha), que ficavam no meu caminho de volta do ônibus, perto do centro. Eu sempre olhava pra elas e ficava imaginando como era dentro, como eu queria entrar e tirar umas fotos, que nem tu fez. Uma demoliram. E a outra pintaram de vermelho, reformaram toda pra fazer um restaurante... Fiquei dividida, porque foi bom para a casa, já que não teve o triste fim que nem as outras, mas também porque tirou o meu sonho de morar nela um dia.

- Surreal mas boa essa sua viagem. Se alguém, algum dia, falou de turismo fora da caixa, definitivamente foi isso.

Anônimo disse...

Hello foi a 1ª vez que li o teu blog e adorei imenso!Espectacular Projecto!
Cumps

Lilly Queers disse...

Mostra pra eles, Debs! ficou lindo!!!!!!!!!