24.2.10

aristocrata. grã-fina. daquelas tão finas e demodês que usam estolas de pele com cabeças de animaizinhos mortos penduradas em seus ombros e penachos nas cabeças. gorda de ostentação. viveu todos os seus dias de seus sessenta e poucos anos parasitando a fortuna conquistada ainda pelo avô. pouco ligava para o politicamente correto, afinal, o dinheiro comprava todas as suas facilidades e não era questionada por ninguém.

em seu enorme palácio cercado de empregados, havia um cômodo dedicado unicamente para seu pequeno schnauzer cinzento que a acompanhava desde a terceira viuvês. chamava seu nome com sua voz de soprano lírico dramático adquirida nas aulas de canto da adolescência:

- trotskiiii!!

e o cachorro vinha feliz, saltitante e com a língua para fora, pronto para receber biscoitos de sabores artificiais, banhos de perfumes franceses ou simplesmente afagos infinitos.

não conhecia a origem do nome do cachorro. achava que era um tipo de biscoito delicioso que experimentou certa vez no maravilhosamente lindo museu de tesouro do czar em são petesburgo. e gostou da forma como o nome soava.

11 comentários:

Renata disse...

Deborah...

Obrigada pela visita lá no meu blog!

Tens um estilo interessante de escrever, voltarei.

Beijo.

gabi disse...

"Trrooootssskiiii!" imaginei o agudo que isso provoca pela voz de uma soprano bem gorda.
hahahaaha

sobrefatalismos disse...

Não sei quem é mais infeliz de caráter - o animal, mais inteligente que a dona, ou a dona, burra, cheia da grana, mas que -possivelmente - jamais tocara em um livro.

Pedro disse...

Ouvir o chamado do Trotski deve doer na alma.

Daniela disse...

Não sei de quem eu sinto mais inveja, se da dona do cachorro ou do cachorro em si. :P
Mas Trotskiii soa muito melhor do que Karl, por exemplo. Ela não estava errada.

Deborah disse...

Pensando bem, Trostki é um bom nome pra um cachorro.
Ou pra um cavalo. Não sei.

:)

carlos massari disse...

trotski era foda, tem meu respeito.

Fabio Rocha disse...

Gostei. :)

Irena disse...

Eu sempre quis ter um cachorro chamado Napoleão. Mas Trotski também é uma boa idéia.

Irena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Emi disse...

Bom, convenhamos, ignorância pode ser mesmo uma benção.