25.2.12

Antropofagia

A primeira coisa que se percebia era a piscina vermelha que envolvia a todos. Mergulhados até a cintura, os personagens de longos trajes e máscaras diversas. A figura central, aparentemente uma mulher, com máscara lisa branca com detalhes ao redor dos olhos em negro, mergulhou o dedo indicador na água. O mexeu em movimentos circulares por alguns instantes e, então, submergiu o restante da mão. Puxou um naco de carne para si: esponjoso, cru, sangrando. O sangue escorria pelo braço, para dentro da manga das vestes. Com o outro membro livre, gesticulou grandemente que abrissem os portões.


Do outro lado da porta, a princesa recém-saída do banho, acompanhada pela irmã menor, chegava com ansiedade:

- A rainha pediu que eu a viesse ver.

- Sim, princesa. Pode entrar.

A outra, de pele branquinha, magra, recém-saída da puberdade, de cabelos amarelos e lisos, puxou a toalha em que estava enrolada um pouco mais para cima.

- Eu não deveria estar mais bem-vestida?

- Ela não vai se importar...

A porteira retorceu seu rosto de velha em um sorriso maldoso e estendeu a mão nodoosa para trás de si enquanto os portões se abriam.


Gabrielle, a irmã menor da princesa, andou o mais rápido que pôde para longe dali. Correr levantaria suspeitas. Passou por assassinos e gangues de fuzileiros e grandes trupes criminosas. Precisava de um abraço e alguns instantes para chorar sozinha, mas não em frente a todos estes homens armados. Levantaria suspeitas.

Um lacaio do castelo alcancou a princesinha:

- Não precisa se preocupar, criança. Nada vai acontecer a você.

- Não, - ela disse, enxugando a primeira lágrima do canto dos grandes olhos azuis. - A rainha só se alimenta de primogênitos.

6 comentários:

Mia Sodré disse...

Que tenso isso! hahaha
Adorei esse conto. Não imaginava esse final. Uma coisa meio Tim Burton, huh?


Ah, tem um selinho pra você lá no meu blog. Olha lá: http://maluquetedotopete.blogspot.com/2012/02/10-things-about-me.html

Nina Vieira disse...

Que tragédia!

Todesangel disse...

Carne de primogênito, adoro.

Emi disse...

Lendo de novo... de novo.. de novo..

Marcos disse...

Eita. Que medinho.

Adorei.

Kamilla Barcelos disse...

Que texto é esse? FANTÁSTICO! Amei.