6.9.11

Sobre livros antes de dormir

Eu tenho o hábito, desde criança - ou pelo menos depois de Harry Potter -, de sempre ler antes de dormir. Se eu não estiver bem cansada, preciso de alguma historinha pra me colocar pra dormir. Prefiro prosa de ficção, mas pode ser qualquer coisa. Eu não sei quantos livros em média eu leio por ano. Devo contar os textos da faculdade como livros? E se eles tiverem mais de 60 páginas, sem figuras? Quadrinhos contam como livros? Livros teóricos são mais livros que livros de ficção fantástica? E antologias? Preciso lê-los inteiros para serem considerados um livro? E os contos que leio na internet, estes contam como livros?

Enfim. Ler antes de dormir. Nos Estados Unidos eu dividia quarto com mais duas meninas que não gostavam de ler. A chinesa ficava impressionada com como eu gostava dessas coisas de museu e livros e arte. Ela só gostava de ler revistas e se recusou veementemente a me acompanhar nas minhas poucas excursões culturais. E eu achava impossível imaginar a francesa num museu, olhando obras silenciosamente. Ela dizia que só gostava de ler livros sobre o que ela estudava. Mas eu gostava de ler antes de dormir. E lia à luz do celular até meus olhos ficarem cansados ou, às vezes, se eu estava em um pedaço particularmente instigante da história, até depois disso.

E agora eu estou sem ter o que ler. Acho que passei por todas as prosas e todos os quadrinhos interessantes da casa e fui à livraria. Achei um Freud na sessão de livros de bolso da LP&M e resolvi que estou lendo prosa fantástica demais. Além disso, algum professor alguma vez deve ter insinuado que O mal-estar na cultura combinava bem com o curso e eu tinha esbarrado por ele e por Tabu e totem uma dúzia de vezes em referências na minha iniciação científica, então decidi pegar.

Mas, senhoras e senhores, ler teoria de psicanálise antes de dormir não é tão simples quanto parece. Acho que é por isso que as pessoas fazem cursos inteiros de 4 anos para entender o que ele quis dizer. Li umas 4 ou 5 páginas e, depois de constatar que nada daquilo estava se tornando conhecimento na minha cabecinha cansada de antes de dormir, coloquei-o na prateleira do quarto, onde ele será lido, eventualmente, quando eu tiver tempo e disposição para ele.

5 comentários:

Camila disse...

Deborah, adoro comentários novos no blog. Principalmente de pessoas que eu não conheço. Minha mãe é psicóloga e já fiz a tentativa de ler os livros psicanalíticos antes de dormir, termino voltando pra ler minha coleção de Harry Potter pela 10a vez. Pra não ficar contra minha mãe, eu comecei a ler todos de Irvin D. Yalom!

Enfim, vamos nos falando. Adoro blogs novos!

;)

Janaína Guimarães Moraes disse...

Hahah. É engraçado como tem sido cada vez mais difícil achar pessoas que realmente curtem passeios culturais ou boas leituras de livros, né? Que curso você faz, Deborah? Já é formada? Continue com o blog, adorei conhecê-lo! :)

Milena Bagetti disse...

Também gosto muito de livros antes de dormir, apesar de que geralmente sonho com o que leio... logo procuro ler algo relativamente leve antes de dormir...mas isso não é muito comum neste país.
Somente quem tem acesso a livros tem esse hábito.
A leitura precisa ser mais incentivada, além de ser leitura crítica e criativa... não somente reprodutora...
Algo muito legal é um projeto de uma escola em que se deixava um livro no banco da praça e toda vez ia alguém diferente para ler... só que com o tempo os livros acabaram "sumindo"... sem deixar rastros.. que fazer?
:)

Emi disse...

Esse ano eu li tão poucos livros. Mas aí fico pensando que foi um dos anos em que mais li.. Artigos e artigos...
Só sei que minha mente estava pedindo e só me senti mais completa essa semana, quando comprei um livro novo da Agatha e me preparei para "voltar".

Thais disse...

Ola... Achei bem bonito o blog..
Eu também estou sem ter o que ler ultimamente e ando procurando algo.