11.9.11

Casa de Fazenda

Eu moro na zona rural do interior paulista. Claro que Campinas, sendo uma cidade relativamente grande, não se compara à zona rural de cidades do interior de verdade de São Paulo ou do interior de Minas, por exemplo. Então eu moro a 20 minutos de carro da Unicamp e a 30 de qualquer lugar. E tem internet e sinal de celular. Coisa que não tem na zona rural de Sorocaba, por exemplo, que é pertinho daqui. Mas mesmo assim, água encanada chegou faz pouco tempo - e não chega na minha casa -, não temos esgoto nem asfalto e só passa ônibus aqui de meia em meia hora, o que já é um avanção perto das 1h10 de intervalo de uns 5 anos atrás. Pelo menos não pagamos IPTU. E, ah, a melhor padaria da região vende pão de manhã e no resto do dia é um botecão. Sem contar que é possível, sim, ficar preso no trânsito atrás de carroças. Isso quando não tem uma boiada atravessando a rua. Sério.

Então, tirando as pessoas de classes mais baixas que moram aqui - justamente por ser bem mais barato que os bairros de classe média alta ao redor -, aqui também se tornou um recanto para professores universitários, aposentados e gente que adora um bom contato com a natureza. Gente bem alternativa, de um modo geral: que curte acordar com os passarinhos e às vezes com galos dos vizinhos, medicina homeopática, ter um pomar gigante com árvores frutíferas e um jardim com ervinhas para o chá caseiro. E tudo isso combina com casas de tijolos à vista, madeira, sapê e vime, um pouco distante do portão da casa, feito de bambu decorado com uma placa de madeira esculpido por fogo com os dizeres "Recanto da Alegria". Uns três ou quatro cachorros vira-latas e pelo menos duas árvores em flor. Isso só à primeira vista.

Pois bem. Há uns anos atrás comecei a acompanhar a construção de uma casinha num terreninho modesto à beira da rua principal do bairro. Demorou um pouco para ficar pronto. Como vocês devem saber, construir casas custa caro. Acho que o que mais tem aqui é gente que juntou todo o dinheiro e disse: "Vamos ter uma fazenda! Nossa casa dos sonhos longe do barulho da cidade!" E, então, depois de construir alguns cômodos, percebem que ficou caro demais. Como aconteceu com meus pais. Mas enfim a construção dessa casinha chegou em algum lugar.

Mas eu achava estranho porque a casa não tinha telhado. Até aí, poderia estar fazendo uma lage ou algo do tipo. Mas aí o dono pintou a casa. Ela é toda branca, mas uma das colunas é azul e a outra, amarela. É tão estranho que eu nem sei descrever. Não há árvores em volta, só mato seco. Olhando por fora, a casa tem dois andares, mas poucos cômodos. E não tem telhado. E poucas janelas. É uma dessas construções modernas com tetos retos que aculumam água quando chove e ficam em bairros modernos de gente rica e moderna que compra carros por mais de 60 mil reais sem nem correr o risco de ficar atolado na lama, nem nas férias. Pela casa dele, fico imaginando que o dono adora tecnologia, deve ter uma TVzona com TV à cabo e wifi pela casa inteira, pra poder cozinhar vendo a receita do IPad. O que um cara desses está fazendo morando aqui? Ou isso ou é um escritório de arquitetura ou advogacacia, uma clínica de dentista ou de estética. Várias coisas que não combinam nada com os arredores.

Olha eu julgando o cara. Vai ver ele só ficou sem dinheiro mesmo e o próximo passo é plantar um pomarzinho de cogumelos comestíveis e colocar uma luneta naquela laje dele, pra poder olhar as estrelas do céu mais impressionante da região.

10 comentários:

Anônimo disse...

Uma foto seria ótima heheh

Janaína Guimarães Moraes disse...

É verdade! Fiquei curiosa para ver a casinha! =D
Gostei bastante de seu blog, parabéns :)

Luana Pagung disse...

Você tem um jeito gostoso de escrever, adorei passar por aqui e conhecer um pouco mais do seu blog. (:

E concordo com a pessoa acima: Fiquei curiosa para ver a casinha!

Bisous.

Lilly Queers disse...

Eu decidi que quero ser uma "natureba" ou "alternativa", faz uns meses já. Comecei a fazer Yoga, ler livros indianos, comer coisas naturais, compostar o lixo... e a única coisa que não encaixava é que algo me dizia que eu, querendo ter filhos, devia morar na cidade grande... Mas PORRAN! Se meus filhos ficarem como você, vai ser bem mais do que eu sempre sonhei.

sobrefatalismos disse...

É sempre mais verde a grama do vizinho. Principalmente quando a casa é engraçada (não tinha teto, não tinha nada", hehe. Faltou só uma foto. Beijão.

Thay disse...

Confesso que ri da sua descrição, ainda mais sendo estudante de arquitetura. Claro que fiquei pensando que, muito provavelmente, a casa deve ter uma laje impermeabilizada e coisa e tal, mas vai que não tem, haha. Seria mesmo muito interessante se você conseguisse uma foto de tal casa, fiquei particularmente curiosa sobre ela. Ahm, eu não moro na zona rural, moro há 15 minutos do centro de Curitiba, mas tenho esses privilegio de ter árvores ao redor e acordar com os passarinhos. É mesmo uma delícia. Adorei seu blog, sua escrita é muito boa de ler! Beijo!

Kamilla Barcelos disse...

Adorei o seu texto. Não sabia que você mora numa aéra rural totalmente globalizada. Que massa1 Eu queria ver a foto da casa tb.

Emi disse...

Minha curiosidade não foi só pela casinha não, mas pelo bairro todo. :)

sobrefatalismos disse...

Posso te contar outro segredo? Acabo de excluir aquele post e vou colocar outro no lugar. E você, quando escrever a minha biografia (porque você VAI FAZER ISSO), poderá relatar sobre o mico que paguei, em público, virtualmente. Obrigada.

P.S.: Eu ri. Como sou ruim em cinema, viu.

sobrefatalismos disse...

Outra coisa; cê destruiu minha infância agora. kkkkk!